Utilidade Sem Futilidade

Hortaliças

 

Verduras e legumes são plantas ou parte de plantas que servem para o consumo humano, como folhas, flores, frutos, caules, sementes, tubérculos e raízes.
  
Utiliza-se a dominação verdura quando as partes comestíveis do vegetal são folhas, flores, hastes, como espinafre, brócolis, alface e a denominação legumes quando as partes comestíveis são os frutos, as sementes ou as partes que se desenvolvem na terra, como abobrinha, tomate, mandioca.

A maioria das verduras e dos legumes são fontes de vitaminas, minerais e fibras. Destacando-se a vitamina C, vitaminas do complexo B, vitamina A (betacaroteno), presente nos vegetais amarelo e alaranjados. Nos minerais, destacam-se o ferro, cálcio, potássio e magnésio. Fibras solúveis e insolúveis também são encontradas.

De acordo com a parte comestível da planta, as verduras e os legumes podem ser classificados em:

Folhas: acelga, agrião, aipo, alfafa, almeirão, couve, espinafre, repolho, couve, rúcula.
Sementes: ervilha, milho verde, vagem.
Raízes e turbéculos: beterraba, cenour4a, mandioca, rabanete, batata, cará, inhame, batata-doce.
Bulbos: alho, cebola, alho-poró.
Flores: alcachofra, brócolis, couve-flor.
Frutos: abóbora, abobrinha, berinjela, chuchu, jiló, pepino, pimentão, quiabo, tomate.
Caules: acelga, aipo, aspargo, palmito.
 

 

Anúncios

Piauí realiza 2º Fórum de Segurança Alimentar e Nutricional

A abertura do encontro será feita pela professora da instituição e presidenta do Conselho Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional do Piauí Consea-PI), Norma Sueli Alberto.

O conselheiro Ribamar Araújo, do Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Consea), também participa do evento. O tema deste ano do Dia Mundial da Alimentação – “Cooperativas que alimentam o mundo” – estará em pauta entre as atividades da manhã.  Outro tema será a água no contexto da segurança alimentar e nutricional.

Na parte da tarde haverá uma mesa redonda que debaterá “Agrotóxico – produção, regulação e consumo”, com participação de representantes do Ministério do Desenvolvimento Agrário, Diretoria de Vigilância Sanitária Estadual e Movimento dos Pequenos Agricultores. Ao final do encontro está prevista a aprovação da Carta Propositiva do Fórum.

 

 

Alimentação saudável

Tanto se diz, mas pouco se sabe afinal o que é uma alimentação saudável.

 

 

A sabedoria popular diz que “você é o que come” e não podia ser mais verdade. A comida que ingerimos tem um grande impacto na nossa saúde e bem-estar. Ao manter a forma física e comer bem está a reduzir o risco de desenvolver doenças relacionadas com a alimentação, como doenças de coração e cancros. Contudo, apesar de manter uma alimentação saudável ser bastante simples, existe ainda muita confusão no grande público sobre no que consiste comer bem, ou a ideia geral que já está a cumprir os requisitos para uma boa alimentação, o que muitas vezes não é verdade. Por exemplo:

 

● 69,3% das pessoas pensa que a sua alimentação é saudável

 

● 71% das pessoas afirma “eu não preciso de mudar os meus hábitos alimentares, já que como bastante bem e de forma saudável”

 

Para tornar-se ou manter-se saudável, o nosso corpo precisa de boa comida, e do tempo e energia para processá-la e usá-la no seu metabolismo. Uma boa nutrição fornece ao organismo nutrientes para produzir ou reparar tecidos, manter o sistema imunitário saudável e permite ao corpo executar tarefas diárias com facilidade.

 

A ligação entre a alimentação e as doenças está muito bem documentada, e existem várias provas que provam que o que comemos tem um impacto muito grande na forma como nos sentimos. Os nossos estilos de vida e hábitos alimentares mudaram dramaticamente nas últimas décadas. Hoje em dia, confiamos na conveniência da comida rápida, ou “fast-food” e em suplementos nutricionais do que propriamente em alimentos frescos. De facto, existe muita atenção mediática virada para o que não devemos comer, e pouca informação sobre o que devemos comer.

 

Lembre-se, não existem na realidade bons ou maus alimentos – moderação e equilíbrio na alimentação são as chaves para se manter saudável. A comida deve ser apreciada – é possível comer refeições deliciosas e bem preparadas que são simultaneamente saudáveis.

 

O objectivo de uma dieta saudável na idade adulta é assegurar que se mantém em forma, com vitalidade, dentes cuidados, um bom sistema imunitário, cabelo e pele saudáveis, energia abundante e um peso ideal. A longo prazo, o objectivo é minizar o risco de doenças crónicas com doenças cardiovasculares, enfartes, diabetes, cancro e osteoporose.

Jogos Paraolímpicos

Evento que mostra superação física dos atletas, teve início em 29 de agosto em Londres

Nesta quarta (29 de agosto) começou as Paraolimpíadas de Londres 2012. Depois de mais de seis décadas, os jogos retornam para a Inglaterra.

Desde as Olimpíadas de Seul, em 1988, as competições Paraolímpicas utilizam das mesma estrutura dos jogos tradicionais.

Mesmo que a superação seja a face que é mais comentada por todos entre os atletas, os competidores em Londres querem mostrar ao mundo todo o seu profissionalismo e capacidade de competir em alto nível nas modalidades.

Este ano, inclusive, dois atletas paraolímpicos participaram da Olimpíadas de Londres, são eles Oscar Pistorius, corredor da África do Sul que utiliza prótese nas pernas, e Natalia Partyka, que participou do tênis de mesa.

Os jogos que ocorrem entre os dias 29 de agosto a 09 de setembro, vão ter uma média de 80% de lotação dos estádios, sendo que um mês antes do início das competições, mais de dois milhões de ingressos tinham sido vendidos.

Ainda distante nas olimpíadas tradicionais, no esporte paraolímpico, o Brasil já está se tornando uma grande potência mundial. Em Londres, serão 182 atletas que disputarão os jogos.

Fonte:

http://www.jogostoso.com.br

Fígado, o órgão das emoções

 

Fígado, órgão regulador das emoções, explica doenças psicossomáticas

 

Pela medicina tradicional chinesa, o fígado é o órgão que regula as emoções. É o órgão associado ao subconsciente e à região do hipocampo (sistema límbico) que administra as emoções e a oscilação de energia, que traz a oscilação de humor.

 

Por isso, as pessoas com hepatite ficam prostradas. Assim, o fígado tem essa função de nos impulsionar para as nossas conquistas – estresse positivo – como também o oposto: amargura e mágoa.

 

Segundo a MTC, a raiva não exteriorizada pode se transformar em amargura. Dessa forma, pessoas que não conseguem colocar suas emoções para fora ou administrá-las tornam se sensíveis às influências do meio externo. Esse estado de estresse leva à oscilação de humor e das emoções. Por isso, apaziguar o Ch’i do fígado (energia do fígado) é de vital importância para uma vida harmoniosa.

 

Uma estagnação do Ch’i do fígado provoca cinco tipos de distúrbios

 

1. Sensação de falta de ar, de peito fechado

 

2. Labilidade (instabilidade) emocional e crises de choro

 

3. Alterações gástricas e intestinais: gastrite, esofagite, refluxo e síndrome do cólon irritável

 

4. Nó na garganta que provoca disfunção da tiróide

 

5. Alterações do abdome inferior prostatismo (de próstata) mioma no útero, ovário policístico, endometriose

 

É assim que ocorre a somatização de doenças, por causa das descargas de emoções derramadas no organismo.

 

É preciso mudar os hábitos estressantes e buscar uma vida saudável.

 

Enfim… são aqueles procedimentos já muito comentados: ter uma alimentação saudável com pratos coloridos, ingestão de fibras, tomar dois litros de água por dia, fazer cinco refeições ao dia, ter uma boa noite de sono, fazer atividade física, meditar, vigiar os pensamentos, viver no momento presente (o dia de hoje), dedicar-se aos amigos, lazer, família, namorar…

Revolução humana X obesidade

Porque e como a revolução humana desencadeou a obesidade

Uma alimentação rica e nutricionalmente mais densa tornou-se fundamental para alimentar as necessidades energéticas dos cérebros humanos excepcionalmente desenvolvidos e para a manutenção dos estilos de vida rudimentares de caça e recolha.

 

Contudo, a transição de um estilo de vida de subsistência para a modernidade sedentária, criou desequilíbrios energéticos cujo crescimento exponencial aumentou rapidamente – em termos evolutivos – nos últimos anos e com graves repercussões na obesidade e carências de nutrição humana.

 

Os padrões de actividade devem receber igual relevância e atenção como recebem os hábitos de alimentação pouco saudável em qualquer tentativa para reverter as tendências evolutivas que contribuem para a obesidade a nível mundial, afirma William Leonard. Leonard, presidente e professor de antropologia na Universidade de Northwestern, irá discutir o seu trabalho durante a Reunião Anual de 2009 da Associação Americana para o Avanço da Ciência (AAAS) em Chigaco.

 

Há dois milhões de anos atrás, alterações no comportamento e qualidade alimentar ajudou a fornecer a energia e nutrição para apoiar o rápido desenvolvimento do corpo e tamanho do cérebro dos nossos antepassados. Hoje, os humanos modernos utilizam quase um quarto das suas necessidades energéticas a alimentar os cérebros, consideravelmente mais que qualquer outro primata (entre 8 a 10%) ou de outros mamíferos (entre 3 a 5%). De forma a apoiar o alto custo energético dos cérebros, os seres humanos consomem dietas muito mais ricas em calorias e nutrientes do que a dos outros primatas.

 

“Enquanto que os primatas de grande porte – chimpanzés, gorilas e orangotangos – possam subsistir com folhas e frutos, nós humanos precisamos de consumir carne e outros alimentos altamente energéticos de forma a conseguirmos suportar as necessidades metabólicas,” diz Leonard.

 

Os alimentos de todas as sociedades humanas são muito mais densos nutricionalmente dos os alimentos dos primatas de grande porte. “Para obter estas dietas de elevada qualidade, os nossos antepassados teriam de se ter deslocados ao longo de grandes áreas de terreno, o que exigiu grande esforço energético”, afirma também Leonard. “Se pensarmos bem, é algo verdadeiramente extraordinário. Isto porque foi o desenvolvimento do cérebro que nos deu vantagem competitiva sobre outras espécies, contudo, também parece nos ter tornado, algures na história, verdadeiramente frágeis, devido às exigências de nutrientes e alimentos necessários para manter a nossa “arma especial”, ou seja o cérebro.”

 

Contudo, reduções substanciais de actividade física em adultos nos tempos modernos, reduziu drasticamente os custos metabólicos de sobrevivência. O diferencial entre a energia consumida e a energia dispendida desequilibrou-se gravemente, à medida que a densidade nutricional da nossa alimentação aumentou em simultâneo o tempo e energia necessários à obtenção de alimentos. “Pense nos nossos antepassados”, desafia Leonard. “Os humanos caçadores-colectores  precisavam de andar kilómetros por dia em busca de alimentos. Hoje, contudo, basta pegar no telefone e mandar entregar uma pizza à nossa porta enquanto esperamos no sofá.” Esse declínio no gasto energético diário contribui não apenas para a obesidade, como também para outras doenças crónicas do mundo moderno, como diabetes e doenças cardiovasculares. “Num certo sentido, essas doenças marcaram o inicio da História Evolutiva Humana, “ caracteriza Leonard.

 

Os dados sugerem claramente que e epidemia da obesidade não pode ser encarada olhando apenas para os maus hábitos da alimentação. “Ao longo de toda a nossa história evolutiva, a obtenção de dietas e alimentos densos e ricos esteve sempre associada a uma substancial despesa energética e de exercício através da circulação em grandes áreas de terreno. Hoje, este desequilíbrio é a principal causa de obesidade no mundo industrializado, daí a extrema importância da prática de exercício físico complementar a uma dieta estável.

 

Fonte: Medical News Today

 

 

 

 

Refeição completa

 

Um nutricionista da Escócia elaborou um que alega ser a primeira pizza com nutrientes equilibrados.

 

O empresário escocês Donald Maclean ajudou Mike Lean a criar formas diferentes de incorporar mais nutrientes em uma pizza.

“Pesquisei o mercado e descobri que alga marinha era um ingrediente novo e interessante sendo usado em pães artesanais.”

“Então, nós usamos isto como uma forma de reduzir o nível de sal. O conteúdo de sódio da alga marinha é cerca de 3,5% comparado aos 40% do sal”, acrescentou Maclean.

Maclean afirmou que a alga marinha também tem “iodo, vitamina B12, todo o tipo de coisa. E o sabor também é excelente”.

Além do tomate, a pizza usa também pimentão vermelho, para aumentar a dose de vitamina C. Além destes nutrientes, cada pizza é enriquecida com magnésio, potássio, ácido fólico e vitamina A.

“Da forma como as recomendações são estabelecidas, você tem 20% dos seus nutrientes e calorias com o café da manhã, 30% com o almoço, 30% com o jantar e mais 20% com lanches”, disse Maclean.

“Nos concentramos em uma pizza que pode ser uma opção de almoço ou jantar. Cada pizza fornece uma refeição completa, com todos os nutrientes”, acrescentou.

“Durante vários anos eu tentei encontrar maneiras fáceis de conseguir uma dieta equilibrada”, disse Mike Lean.

“A forma mais fácil de fazer isto é consumir refeições com os nutrientes equilibrados. Três destas por dia e você conseguiu, mas, atualmente, as refeições preparadas comercialmente não são equilibradas em termos de nutrientes.”

As pizzas serão vendidas apenas congeladas. Os testes mostraram que os nutrientes se conservam melhor nesta forma.

Lean e o empresário Donald Maclean estão trabalhando para fazer com que o preço seja acessível.

“Nossas pizzas são mais caras do que a maioria das pizzas congeladas, mas (o preço) é equivalente ao das pizzas resfriadas”, disse Maclean.

O empresário e o professor agora vão tentar transformar outros alimentos em refeições saudáveis, como o curry indiano e o tradicionalfish and chips britânico.

 Laís Gurgel, matéria publicada em 30-7-12

Caro leitor, se você tiver alguma sugestão de reportagem, conte-me sua história. Quem sabe a próxima matéria a aparecer aqui não será a sua?

Laís Gurgel de Oliveira

Agenda

setembro 2017
S T Q Q S S D
« dez    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  

Arquivos

Visitas

  • 1,035 hits